domingo, 25 de outubro de 2020

MPT, Auditoria Fiscal do Trabalho e Cerest-PA inspecionam frigorífico em Paragominas

Fonte: MPT/Pará e Amapá

Neste mês de setembro, uma equipe integrada por representantes do Ministério Público do Trabalho PA/AP (MPT), da Auditoria Fiscal do Trabalho e do Centro de Referência Estadual em Saúde do Trabalhador (Cerest-PA) esteve em Paragominas (PA), para realizar inspeção na empresa Frigorífico Fortfrigo Ltda.

O grupo fiscalizou o estabelecimento da empresa, a fim de verificar o cumprimento de medidas ambientais previstas em recomendação emitida pelo Ministério Público do Trabalho, nos autos do Procedimento Promocional de atuação preventiva no trabalho em frigoríficos.

Desde o início da pandemia, a atuação do MPT já assegurou medidas de proteção à saúde de milhares de trabalhadores por meio da celebração de Termos de Ajuste de Conduta (TACs) que abrangem unidades frigoríficas de todo país, desde grandes empresas até aquelas de pequeno e médio porte. Como resultado do diálogo que as indústrias de abate e processamento de carne brasileiras vêm estabelecendo com o MPT, está o panorama encontrado na Fortefrigo, onde um protocolo de segurança passou a ser obedecido para o enfrentamento da Covid-19.

Crédito: MPT/Amapá e Pará

Medidas

Entre as medidas adotadas pela empresa estão a utilização de um único acesso às dependências do frigorífico atravessado por barreira de desinfecção; afastamento de empregados que compõem o grupo de risco; implantação de política dos “casos suspeitos”, afastando os empregados por 14 dias, caso apresentem sintomas característicos da covid-19; fornecimento de vacina antigripal e outros tipos de vacina aos empregados, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde; e troca de máscaras de tecido a cada 3 horas, com cada período possuindo uma cor específica, para melhor controle da realização das trocas, e recolhimento dessas em um saco plástico para lavagem e higienização em lavanderia.

Segundo verificado durante a inspeção, o número de afastamentos na empresa não foi muito expressivo, já havendo redução considerável do número de funcionários afastados por suspeita de Covid-19, de acordo com controle atualizado semanalmente pelo setor de Recursos Humanos. Além disso, nenhum trabalhador veio à óbito em razão da doença. Para manter a situação controlada, os carreteiros que trazem o gado para abate não possuem contato com os empregados internos do frigorífico, o qual possui uma capacidade de abate de 600 animais por dia mas, por medidas de segurança, atualmente trabalha com uma média de 325 abates diários.

Artigos relacionados

Diesat celebra 40 anos com lançamento de livro

Por Martina Wartchow/Jornalista da Revista Proteção Para marcar o ano em que completa 40 anos de atividade, o Diesat...

Frente Parlamentar da Agropecuária elogia revisão de norma sobre trabalho no campo

Fonte: Agência Câmara de Notícias Integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) elogiaram, nesta quinta-feira (22), o anúncio feito...

Consultor alerta sobre importância de encaminhar recursos do FAP no prazo

Por Martina Wartchow/Jornalista da Revista Proteção A Portaria nº 21.232 da SEPRT (Secretaria Especial de Previdência e Trabalho), que...

Secretaria do Trabalho avalia pedido da Animaseg por mais prazo para CA

Por Martina Wartchow/Jornalista da Revista Proteção A Animaseg (Associação Nacional da Indústria de Material de Segurança e Proteção ao...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui