Artigo – Espaços Confinados: gestão ausente – Ed. 344

Capacitação e Programa de Controle de Energias Perigosas são vitais para evitar acidentes

O Controle de Energias Perigosas, apesar de ser visto como perda de tempo, desnecessário ou supérfluo, é ainda pouco compreendido pela maioria dos profissionais e trabalhadores. O desconhecimento e a falta de informação técnica causam inúmeros acidentes por acionamento, desligamento, reenergização, bloqueio ou desbloqueio inadvertido.

Em espaços confinados o controle de energias perigosas é ainda mais importante, pois os trabalhadores que laboram na área externa ao local, muitas vezes, não têm conhecimento da presença de trabalhadores no interior do espaço, do serviço que está sendo executado, dos equipamentos que estão sendo utilizados e dos riscos gerados na execução do serviço.


Dados do autor:

Sérgio Augusto Letizia Garcia – Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho, mestre em Engenharia de Produção, professor do IFRS e Auditor Fiscal do Trabalho
[email protected]

Confira o artigo completo na edição de agosto da Revista Proteção.


Artigos relacionados

10 mudanças no trabalho humano e questões ergonômicas do ‘novo normal’

As mudanças ocorridas no mundo do trabalho após 14 de março são enormes, com impactos em Ergonomia e em Organização do Trabalho....

Histórias divertidas vivenciadas por profissionais de SST – 2020

"Causos da Prevenção" publica alguns fatos vivenciados por profissionais de SST. Se você tem uma história interessante ou...

Notícias dos Tribunais – Ed. 345

Acordo extrajudicial da Vale A Vale fechou um acordo extrajudicial com o INSS, por meio do qual se...

Entrevista: Agenda impactada – Ed. 345

Por Daniela Bossle/Editora e Jornalista da Revista Proteção Mesmo com ano difícil, a SIT garante que transparência e construção...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui