SENAI seleciona 250 indústrias para receber consultoria gratuita em fabricação de EPI

Fonte: Senai

Um grupo de 250 empresas receberá mentoria gratuita do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) para fabricar equipamentos de proteção individual (EPIs), pivotar ou ampliar a produção existente. A lista de selecionadas está disponível no site do Edital de Inovação para a Indústria. O treinamento online, que tem duração de oito horas, será realizado pela rede de 27 Institutos SENAI de Inovação e 60 Institutos SENAI de Tecnologia distribuídos pelo país.

Os participantes serão orientados a elaborar máscaras e aventais hospitalares, protetores faciais e máscaras domésticas, entre outros. Os consultores do SENAI vão ajudar as empresas a criar um plano de ação para realizar o trabalho, orientar sobre as especificações técnicas exigidas na fabricação de cada item e a necessidade de consulta à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Vão também sugerir linhas para financiamento caso seja necessário fazer algum investimento. As mentorias nas empresas serão de 8 horas, a distância e deverão estar finalizadas até 30 de Junho.

Entre as indústrias selecionadas, 136 vão fabricar máscaras de uso geral e 37 farão máscaras cirúrgicas; 29 irão fornecer protetores de acetato do tipo faceshield; sete vão produzir antissépticos e 41 receberão consultoria para oferecer outros produtos.

Crédito: SENAI

As empresas escolhidas localizam-se em 17 unidades da Federação: 34 são do Ceará, 32 do Paraná, 32 de Mato Grosso, 30 da Paraíba, 25 de Goiás, 22 de Pernambuco, 18 do Rio Grande do Norte, 16 de Minas Gerais, 15 de São Paulo, 8 do Rio Grande do Sul, 6 do Piauí, 6 do Rio de Janeiro e 2 do Espírito Santo. As demais selecionadas são de Tocantis, Bahia, Acre e Distrito Federal.

O SENAI também mobilizou a sua rede em todo o Brasil, assim como 377 indústrias parceiras, para aumentar a fabricação desses equipamentos, essenciais na proteção contra o novo coronavírus. Já foram produzidos 17 milhões de máscaras cirúrgicas; 13,8 milhões de máscaras de uso comum; 369 mil vestimentas hospitalares, como aventais, capotes e toucas; 344 mil unidades de máscaras de acetato do tipo faceshield e 497 mil litros de álcool antisséptico. A maior parte da produção foi doada.

“A ação do SENAI tem contribuído para aumentar a disponibilidade no país de itens de proteção essenciais para profissionais de saúde e a população em geral”, avalia o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

“Além de doar produção feita em suas unidades em parceria com empresas, o SENAI espera, com a mentoria gratuita, ajudar empresas que tiveram a produção reduzida a gerar receita e manter empregos”, completa.

Projetos inovadores também foram selecionados pelo edital 

O Edital de Inovação para a Indústria selecionou ainda 34 projetos destinados a prevenir, combater ou tratar os efeitos do novo coronavírus. Serão investidos R$ 27,7 milhões na categoria Missão contra a Covid-19, realizada em parceria do SENAI com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Na lista estão propostas para desenvolver plataforma de software de visão computacional e inteligência artificial de detecção à distância de pessoas febris; um revestimento antiviral em spray, baseado em nanopartículas de prata, que consegue inativar o vírus; um sistema de desinfecção para transportes públicos com raios ultravioleta do tipo C (UV-C); a adaptação de ventiladores pulmonares veterinários para uso por humanos, entre outras.

O Edital de Inovação para a Indústria é uma iniciativa do SENAI e do Serviço Social da Indústria (SESI). Desde que foi criado, em 2004, foram selecionados mais de mil projetos inovadores, nos quais foram investidos mais de R$ 680 milhões. As propostas selecionadas recebem recursos e apoio para desenvolvimento de uma prova de conceito, passando por processos de validação, de protótipo e de teste na rede de inovação e tecnologia do SENAI.

O SENAI pôs sua infraestrutura a serviço do combate à pandemia do coronavírus em quatro frentes:

  • Detecção e diagnóstico, por meio do apoio à maior produção de testes para detecção do vírus;
  • Prevenção, com ajuda à fabricação de equipamentos de proteção individual (EPI);
  • Tratamento de doentes, ao trabalhar na manutenção de respiradores mecânicos parados;  
  • Apoio à fabricação e desenvolvimento de novos equipamentos.

A rede de Inovação e de Tecnologia do SENAI

Os Institutos do SENAI possuem pesquisadores qualificados, equipamentos e infraestrutura de vanguarda para desenvolvimento de produtos e processos inovadores, assim como para a oferta de serviços de consultoria e metrologia. Desde que a rede de 27 Institutos SENAI de Inovação foi criada, em 2013, mais de R$ 1 bilhão foram aplicados em 1.086 projetos concluídos ou em execução. A estrutura conta com mais de 700 pesquisadores, sendo que cerca de 44% possuem mestrado ou doutorado.

Atualmente, 15 centros são unidades Embrapii, e têm verba diferenciada para financiamento de projetos estratégicos de pesquisa e inovação. A rede de 60 Institutos SENAI de  Tecnologia, possui corpo técnico de cerca de 1.200 especialistas e consultores que prestam serviços buscando melhorar a qualidade de produtos e serviços, a produtividade e a competitividade dos negócios.

Artigos relacionados

Entregadores de aplicativo protestam em São Paulo, Brasília e no Rio

Fonte: Agência Brasil Entregadores de aplicativos paralisaram as atividades nesta quarta-feira (1º) para protestar por melhores condições de trabalho. O...

Trabalho escravo: Anamatra é eleita como representante da sociedade civil na Conatrae

Fonte: Anamatra A Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra) foi eleita, na manhã desta terça (30/6),...

Governo Federal lança cartilha sobre trabalho infantil

Fonte: Ministério da Saúde O Ministério da Saúde, juntamente com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos...

Produtor de café terá que adotar medidas de prevenção da Covid-19 e coibir trabalho escravo

Fonte: MPT/Minas Gerais Um produtor de café do município de Delfinópolis, no Sul de Minas Gerais, terá que adotar...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui