Crédito: Cofco

Segurança na estrada

A redução próxima dos 100% nas ocorrências relacionadas à sonolência, fadiga e distração no transporte canavieiro é resultado alcançado pelo Programa Medicina do Sono da Cofco International, que conquistou os títulos de Melhor Case Nacional e da Região Sudeste no Prêmio Proteção Brasil 2019, assim como o Ouro na categoria `Ações Preventivas e Corretivas de SST’. Fundado em 1949 na China, o Grupo Cofco é especializado no fornecimento de produtos agrícolas e serviços de alimentação.

Por sua vez, a Prata ficou com a Usiminas Mecânica, voltada para atender às demandas específicas de diversos segmentos industriais na fabricação sob encomenda de equipamentos e estruturas metálicas, com o case Desovalizador de Virola’. Já o Bronze foi para a Mineração Paragominas, mina de bauxita da Hydro (Norsk Hydro ASA), com o case Guia de Prevenção de Acidentes nas Operações de Terraplenagem’.

O Programa Medicina do Sono’ da Cofco International conquistou os títulos de Melhor Case Nacional e da Região Sudeste no Prêmio Proteção Brasil 2019, assim como o Ouro na categoria Ações Preventivas e Corretivas de SST’. “A empresa, por meio da equipe de Saúde, Segurança e Meio Ambiente, buscou diversos recursos e não mediu esforços para investir num programa que nos capacitou para gerenciar os riscos de incidentes com motoristas de veículos pesados, operando preventivamente e promovendo a qualidade de vida de nossos funcionários, com o objetivo de alcançar o Acidente Zero”, afirma o gerente de SSMA, o engenheiro de Segurança Douglas Guedes de Oliveira.

Fundado em 1949 na China, o Grupo Cofco é especializado no fornecimento de produtos agrícolas e serviços de alimentação naquele País. Com mais de 14 mil funcionários em 35 países, sua subsidiária Cofco International, sediada na Suíça, entrega mais de 100 milhões de toneladas de produtos no mundo todo. No interior de São Paulo, a empresa possui 5.700 funcionários em suas unidades operacionais (Catanduva, Meridiano, Potirendaba, Sebas­tianópolis do Sul, São José do Rio Preto e Votuporanga) com capacidade para processar 15 milhões de toneladas de cana-de-açúcar. Seus produtos são açúcar, etanol e cogeração de energia.

As operações nas usinas de produção de açúcar, álcool e energia das unidades operacionais no Brasil são distribuídas em turnos diurnos e noturnos, somando 24 horas de trabalho por dia durante todo período de safra. Normalmente, de março a novembro de cada ano, a empresa tem, aproximadamente, 230 caminhões canavieiros com 600 motoristas operando em rodovias estaduais de grande fluxo de veículos e em rodovias intermunicipais de mão única e com curvas sinuosas.

“A Cofco se baseia na Cultura Sunshine, que tem como pilares sustentabilidade, inclusão, inovação e integridade. Valores como a ética, o respeito às pessoas e à natureza e o compartilhamento de ideias são atitudes fundamentais para a empresa”, ressalta Douglas. Nesse sentido, em 2017, foi implantado procedimento para investigação da causa raiz de 122 ocorrências com veículos canavieiros que resultaram em nove casos com lesões leves não incapacitantes. Identificou-se, então, que as causas estavam relacionadas a distração, fadiga e/ou sonolência dos condutores. A partir daí, teve início a busca por recursos tecnológicos inovadores para investir no gerenciamento dos riscos nas operações de transporte com veículos pesados.

ETAPAS

Com base nos importantes resultados alcançados por uma empresa de transporte coletivo de outro estado que havia implantado um programa de Medicina do Sono, se optou pelo mesmo caminho. Foi criado, então, um procedimento operacional padrão para dar suporte ao longo da execução dos trabalhos e foram estabelecidas as etapas necessárias para a implementação do Programa Medicina do Sono nas operações da Cofco. A primeira etapa foi colocada em prática em janeiro de 2018 com os questionários para identificação do cronotipo dos motoristas canavieiros e indicação para a área responsável pelo planejamento dos turnos do melhor horário que cada funcionário pode operar com mais segurança, conforto e rendimento. Já a segunda etapa, em junho seguinte, foi a implantação de uma plataforma eletrônica de manejo da fadiga para medições individuais por meio de testes aplicados em tablets ou desktops no início e no final da jornada de trabalho de cada motorista.

A terceira etapa, iniciada em setembro do ano passado, foi a implantação do sistema de monitoramento de fadiga e distração em tempo real, que acompanha as operações dos motoristas canavieiros e de transporte de cargas líquidas por meio de uma câmera instalada nos caminhões que monitora, com sensores, seus olhos, expressões faciais e suas ações. Dessa forma, é possível identificar automaticamente fadiga, sonolência, desvio de olhar da estrada, uso de celular, ausência do motorista, obstrução do sistema (câmera), uso de cigarro, velocidade, alimentação e uso do cinto de segurança. Todos os eventos são registrados em imagens e vídeos e enviados para uma central de monitoramento que mantém contato em tempo real com a equipe de controle de tráfego. Além dos registros, o sistema dispara no ato um alarme sonoro para chamar a atenção do condutor. “Cada caso registrado é estudado pela equipe do SESMT da empresa para que as medidas cabíveis sejam tomadas, sendo de avaliação e intervenção médica para os casos de sonolência e fadiga e medidas disciplinares para os casos de desvios”, explica.

Na sequência, a quarta etapa do programa foi a instalação das salas de estimulação, com sistema de iluminação que possui lâmpadas brancas e frias sem raios infravermelhos e ultravioletas que produzem no mínimo 2.500 lux. Somadas ao tempo mínimo de exposição de 20 minutos, elas contribuem na inibição da produção da melatonina, atrasando o relógio biológico e impedindo, assim, que os motoristas sejam surpreendidos pela sonolência. Por sua vez, a quinta etapa inclui diagnóstico e tratamento médico para os casos com alterações em alguma das etapas anteriores.

Douglas ressalta que todas as etapas são desenvolvidas por profissionais devidamente treinados e habilitados. “Com ferramentas tecnológicas e inovadoras que fazem o acompanhamento em tempo real das operações, o Programa Medicina do Sono evita, de maneira preventiva, possíveis ocorrências com danos humanos, materiais e ao meio ambiente, além de promover a qualidade de vida e o bem-estar de nossos colaboradores e garantir melhorias na produtividade e no rendimento de cada um”, destaca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui