OMS divulga recomendações para prevenir o coronavírus no ambiente de trabalho

Por Bruna Klassmann/Jornalista da Revista Proteção

A OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou no dia 27 de fevereiro, um documento com recomendações para prevenir no ambiente de trabalho, a propagação do novo coronavírus (Covid-19).

No documento são informadas ações importantes que ajudam na prevenção da doença, que devem ser seguidas pelos empregados e empregadores, mesmo em locais que ainda não registraram ainda contaminação do vírus.

Confira abaixo as orientações divulgadas pelo OMS:

Ambiente de trabalho

  • Mesas, cadeiras, telefones, teclados e outros equipamentos precisam ser higienizados com pano e desinfetante regularmente (a contaminação de superfícies é uma das principais formas de transmissão de Covid-19);
  • Se possível e em caso de surto, incitar o trabalho remoto (em um esquema de home office, por exemplo) auxilia a evitar contatos desnecessários. Fora isso, os funcionários deixam de usar o transporte público, onde há grandes aglomerações.

Promoção da higiene respiratória

  • Lenços descartáveis deveriam estar disponíveis em diversos locais do ambiente de trabalho para o empregado assoar o nariz ou tossir sem espalhar gotículas com vírus;
  • Se você está doente ou com febre e sintomas respiratórios, não vá ao trabalho. Os dirigentes nunca deveriam cobrar a presença de pessoas doentes no serviço;
  • Se não tiver um lenço à disposição, cubra a boca e o nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar. E lave o braço assim que possível;
  • A empresa deveria distribuir dispensadores com álcool-gel em locais visíveis. Esses equipamentos também podem ser usados para colocar sabão líquido no banheiro.
  • Pôsteres que promovam a lavagem das mãos são mais uma boa medida para os empregadores adotarem. Combine essa medida com outras de comunicação sobre higiene manual e outras atitudes saudáveis no serviço.

Viagens de trabalho

  • Assegure-se de checar as últimas informações sobre o avanço nos casos do novo coronavírus no local onde pretende ir;
  • Avalie os riscos e os benefícios da viagem. É possível postergar ou fazer uma reunião à distância?
  • Funcionários com condições médicas que aumentam o risco de complicações da Covid-19 merecem atenção especial ao considerar se vale a pena viajar a um local com muitos casos. Exemplos: pessoas com diabetes e doenças pulmonares ou cardíacas;
  • Considere levar álcool-geral para a viagem e lave bastante as mãos;
  • Saiba quem contatar em caso de infecção pelo novo coronavírus e obedeça as autoridades sanitárias locais;
  • Ao voltar de um lugar com surto ativo, fique especialmente atento aos sintomas dessa doença respiratória por 14 dias. A empresa também deve monitorar o indivíduo durante o período;
  • Se quaisquer sinais suspeitos aparecerem (tosse e até febre leve), fique em casa, evite contato próximo com os familiares e entre em contato com um médico.

Para finalizar o documento relembra que “agora é o momento para se preparar contra a Covid-19. Simples precauções podem fazer uma grande diferença. As ações que sugerimos protegerão os funcionários e até o negócio”.

Acesse aqui, o documento completo.

Artigos relacionados

3º Congresso SST chega ao fim após cinco dias de atividades

Por Bruna Klassmann/Jornalista da Revista Proteção Na tarde desta segunda-feira, dia 28 de setembro,...

Após fiscalizadas, quatro fazendas no Pará são exemplos de boas condições laborais no ambiente rural

Fonte: MPT/Pará e Amapá Uma fiscalização do Ministério Público do Trabalho PA-AP (MPT) e Auditoria Fiscal do Trabalho, no...

SESI lança plataforma de saúde mental online para atendimento de trabalhadores

Fonte: SESI O Centro de Inovação em Fatores Psicossociais do Serviço Social da Indústria (SESI) lança a Plataforma de Saúde Mental Online, voltada ao...

Publicada Portaria do FAP com vigência para 2021

Fonte: Ministério da Economia Foi publicada nesta segunda-feira (28) a Portaria SEPRT nº 21.232 que dispõe sobre o Fator Acidentário de...