CRM-PI flagra profissionais sem EPIs básicos na ala Covid e incinerando lixo hospitalar

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) divulgou nesta terça-feira (11) o resultado da última fiscalização realizada na última quinta-feira (6) em duas unidades de saúde. No Hospital Municipal Pedro Vasconcelos, em Miguel Alves, profissionais de saúde estavam sem equipamento de proteção individual (EPI) adequado no setor destinado ao tratamento da Covid-19. Em União, os fiscais encontraram servidores incinerando lixo hospitalar na Unidade Básica de Saúde (UBS).

Segundo o CRM, o hospital de Miguel Alves tem problemas na estrutura física, falta de equipamentos, instalações elétricas precárias e os banheiros não contam com acessibilidade para cadeirantes. Na área externa, os fiscais encontraram galinhas e um esgoto a céu aberto.

Profissionais sem EPI

O médico fiscal Juarez Holanda, do CRM, contou ter encontrado na ala Covid-19 profissionais de saúde sem equipamentos de proteção individual (EPI) ou com equipamentos inadequados, como aventais de tecido. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o correto são aventais hidrorrepelentes ou impermeáveis, como TNT.

O hospital também não tem equipamentos importantes para salvar vidas de pacientes em situações de emergência, como um ventilador mecânico para pacientes graves. A fiscalização notou também a falta de medicamentos para atendimento de urgência, como bloqueadores musculares.

“Tanto na área Covid como na área comum não tem infraestrutura necessária atender intercorrências, não tem suporte de oxigênio adequado, uma situação precária no hospital local de Miguel Alves”, disse o médico Juarez Holanda.

Hospital precisa de reforma

Segundo o médico fiscal Juarez Holanda, o hospital precisa urgentemente de uma reforma. “Estrutura física precária, com mofo, infiltração, instalação elétrica exposta, algumas muito arriscadas, misturadas com infiltrações do teto”, disse.

O hospital tem diversos pontos em que os azulejos se soltaram das paredes. Para o CRM, essa situação favorece a sobrevivência de insetos e bactérias. Os fiscais encontraram ainda lagartixas e insetos. Na área externa havia esgoto a seu aberto, e galinhas ciscando.

Conforme a fiscalização, a lavanderia e o expurgo não possuem fluxo adequado, com risco de contaminação do vestuário. Segundo o CRM, as denúncias serão enviadas para o Ministério Público e para a prefeitura.

A direção do Hospital Pedro Vasconcelos informou ao G1 que o hospital vai passar por uma reforma, que deve iniciar na próxima semana. A direção informou ainda que o hospital possui os equipamentos de proteção individual necessários, e que os profissionais flagrados durante a fiscalização sem o EPI adequado são “casos particulares”. (leia a íntegra da nota no fim da matéria).

Lixo hospitalar incinerado

Crédito: CRM

Em União, os fiscais encontraram pela segunda vez lixo hospitalar de uma Unidade Básica de Saúde (UBS) sendo recolhido e incinerado no mesmo terreno do posto. De acordo com o CRM, a situação encontrada é a mesma de maio de 2019.

“Mais de um ano se passou e o município de união ainda não providenciou o descarte adequado do lixo hospitalar. Continua incinerando o lixo hospitalar dentro de manilhas no quintal da própria unidade básica”, disse o médico fiscal Juarez Holanda.

A Secretaria Municipal de Saúde de União disse que não foi notificada pelo CRM sobre o descarte de lixo hospitalar, mas que está trabalhando num relatório sobre os resíduos sólidos das UBSs da cidade, para tomar as medidas cabíveis.

Leia abaixo as notas da diretoria do Hospital Municipal Pedro Vasconcelos, de Miguel Alves, e da Secretaria Municipal de União:

Nota da Secretaria Municipal de Saúde de União

A Secretaria Municipal de Saúde de União informa que não recebeu nenhuma notificação por parte do Conselho Regional de Medicina no Piauí (CRM-PI) em relação à coleta de resíduos sólidos nas Unidades Básicas de Saúde. Contudo, já está providenciando um relatório junto à Vigilância Sanitária sobre Resíduos Sólidos nas UBS para tomar as medidas cabíveis.

Hospital Municipal Pedro Vasconcelos

Nota de Esclarecimento

A Direção do Hospital Local Pedro Vasconcelos esclarece que, após inspeção do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Piauí, adotou todas as medidas necessárias para sanar as falhas organizacionais detectadas na unidade. Quanto as falhas estruturais, as mesmas serão sanadas brevemente com a reforma que se iniciará nos próximos dias, reforma esta que tem o recurso oriundo de uma emenda parlamentar do Deputado Estadual Oliveira Neto, no valor de 1 milhão de reais. Na oportunidade será contemplado a reforma da parte hidráulica e elétrica do prédio, bem como adaptações para cadeirantes. O hospital ainda será contemplado com mobiliários novos, recurso oriundo do governo federal. Quanto ao respirador, o hospital esclarece que, o fato não é uma realidade apenas do hospital de Miguel Alves, mas de todo o país. O cenário pandêmico desde março do corrente ano colocou no centro das atenções a demanda e a oferta de equipamentos médicos e hospitalares, principalmente o respirador. Segundo o CNES ( Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde ), a maior parte dos respiradores artificiais estão no HUT (Hospital de Urgência de Teresina ) e apenas 14% nas demais cidades do Piauí. Quanto a farmácia hospitalar, o conselheiro constatou o grande volume de medicamentos, faltando apenas os três citados no relatório, mas que já foram solicitados a aquisição para o setor de compras. Quanto a questão de suporte de oxigênio de alto fluxo que foi mencionado que o hospital não possui, o hospital possui sim, mas durante a inspeção não nos foi solicitado. Quanto ao esgoto a céu aberto, se tratava apenas de um cano quebrado, que no mesmo dia já foi sanado o problema. Quanto as galinhas citadas na área externa do prédio, as aves são de vizinhos, os mesmos já foram comunicados para prendê-las mas não obtivemos sucesso, elas voam, ultrapassam o muro e não temos controle sobre isso. Mesmo diante de todos os problemas financeiros, a gestão municipal busca sanar todas as dificuldades, mantendo o atendimento com médicos clínicos e especialistas, exames laboratoriais e de imagem, consultas de urgência e emergência, partos e internações hospitalares. Por fim, a diretoria desta casa, na pessoa da Dra. Leyla Lira , está sempre a disposição para quaisquer esclarecimentos. “Continuamos com nosso trabalho, prezando pela qualidade e responsabilidade frente ao serviço público “.

Artigos relacionados

Incêndio atinge fábrica da Marluvas em Dores de Campos/MG

Fonte: G1 Um incêndio foi registrado na madrugada desta sexta-feira (24) na fábrica de calçados e luvas de couro...

MPT, Auditoria Fiscal do Trabalho e Cerest-PA inspecionam frigorífico em Paragominas

Fonte: MPT/Pará e Amapá Neste mês de setembro, uma equipe integrada por representantes do Ministério Público do Trabalho PA/AP...

MPT destina R$ 304,8 milhões para o combate à Covid-19

Fonte: Procuradoria-Geral do Trabalho O Ministério Público do Trabalho (MPT) já destinou cerca de R$ 304,8 milhões a ações...

Deslizamento de terra em garimpo deixa 3 mortos no interior do Amapá

Fonte: G1 Um deslizamento de terra ocorrido no barranco de um garimpo no distrito de Lourenço, em Calçoene, município a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui