quinta-feira, 07 de julho de 2022

Entrevista – Estreitando laços – Ed. 362

Por Daniela Bossle/Editora e Jornalista da Revista Proteção

Titular da ANEST aposta na integração e descentralização das informações para maior valorização e aprimoramento profissional

Benvenuto Gonçalves Júnior, 52 anos, cumpre seu segundo mandato como presidente da ANEST (Associação Nacional de Engenharia de Segurança do Trabalho) no período de 2021 a 2023. Com uma vivência diferente dos profissionais atuantes nos grandes centros urbanos, ele nasceu no interior do Rio Grande do Norte, no município de Assú, região voltada à fruticultura irrigada. Como engenheiro agrônomo trabalhou em grandes usinas de açúcar em Alagoas, onde teve os primeiros contatos com a Segurança do Trabalho e depois em empresa multinacional voltada para produção e comércio de frutas. Mais tarde, de volta ao Rio Grande do Norte, fez especialização em Engenharia de Segurança do Trabalho e dedicou-se à produção rural.

À frente da ANEST, sua maior preocupação é que a informação e o conhecimento cheguem também às pequenas empresas, inclusive às rurais, bem como aos profissionais da área de Segurança do Trabalho que estão no interior do país. Tanto que a entidade vem procurando realizar seus grandes encontros e congressos no interior dos estados e não nas capitais. O último Conest aconteceu em novembro de 2021 em Londrina/PR e o próximo encontro nacional (Enest) será em Vila Velha/ES. “Queremos chegar também naquele engenheiro do interior porque com certeza ele é menos assistido que o engenheiro da capital. O leque de opções e de acesso é bem menor do que para os profissionais que estão nas capitais. Claro que hoje temos eventos em modo virtual, que facilitam o acesso, mas acredito muito ainda nos encontros presenciais”, diz ele.

Benvenuto também é especialista em Economia e Gestão de Empresas, conselheiro do CREA/RN e perito judicial do TRT da 21ª Região.

Antes de presidir a ANEST o senhor esteve à frente da sua filiada em Natal. Qual a importância deste primeiro trabalho?

Fui presidente da AEST/RN por dois mandatos. A Associação estava sem funcionar há vários anos e fizemos uma retomada. Realizamos vários eventos de SST, fizemos parcerias com órgãos públicos visando maior valorização profissional. A entidade de classe que tinha atuação estadual começou a ter visibilidade no cenário nacional, o que chamou a atenção das lideranças. Durante o 19° Conest no Estado da Paraíba, participei de uma eleição bem disputada na ANEST, e obtive êxito.

Quantas filiadas a ANEST tem hoje e em quais estados? Há uma estimativa de quantos engenheiros de segurança existem no país? E destes quantos são associados à ANEST e/ou suas filiadas?

Hoje há 20 associações filiadas localizadas em diversos estados (veja quais são e onde estão no box Filiadas da ANEST). No país todo temos 79 mil engenheiros de segurança registrados no Confea. Destes, cerca de 50 mil são filiados às entidades e representações estaduais. A ANEST é uma entidade de classe registrada no Confea e representa legalmente os engenheiros de Segurança do Trabalho no Brasil.

Confira a entrevista completa na edição de fevereiro da Revista Proteção.


Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui