quarta-feira, 29 de junho de 2022

Artigo – Gestão de SST: Prevenção nas oficinas – Ed. 363

Bem-estar do trabalhador não costuma ser prioridade na manutenção veicular

Acidentes de trabalho são comuns devido às condições precárias do ambiente, falta de proteção em máquinas e condições inseguras de trabalho para os funcionários. Hoje, a legislação prevê condições mínimas de Segurança do Trabalho regidas por normas regulamentadoras, ISOs, normas de procedimento técnico, e fiscalizações eventuais em empresas ou por meio de denúncias de funcionários e/ou anônimos. 

Segundo procurador do MPT, cientista de dados e coordenador da iniciativa Smart Lab, Luis Assis “estima-se que doenças e acidentes do trabalho produzam a perda de 4% do Produto Interno Bruto global a cada ano. No caso do Brasil, esse percentual corresponde a aproximadamente R$ 300 bilhões, considerando o PIB de 2020”. Além dos incomensuráveis custos humanos e familiares, os custos econômicos desses acidentes e doenças se manifestam em gastos do sistema de saúde e do seguro social. E, no setor privado, em uma enorme redução da produtividade derivada de dias perdidos de trabalho acumulados de trabalhadores e trabalhadoras.


Dados dos autores:

Diego Henrique Teixeira Ribeiro – Técnico em Segurança do Trabalho
[email protected]   

Beatriz Colodel – Engenheira Ambiental e engenheira de Segurança do Trabalho, mestre em Gestão Urbana. Técnica de ensino do SENAI Portão
[email protected]

Confira o artigo completo na edição de março da Revista Proteção.


Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui