quarta-feira, 29 de junho de 2022

A lei do inverso do quadrado da distância aplicada a uma exposição ao ruído em campo livre

A intensidade sonora pode ser entendida como a potência sonora que passa por uma unidade de área, ou seja, não é uma propriedade inerente a fonte que a emite e está intimamente relacionada ao campo de propagação ao redor do deslocamento das ondas acústicas. A quantificação da intensidade sonora permite distinguir sons fortes ou fracos de acordo com a energia transmitida pelas oscilações que são provocadas no sistema auditivo do observador, neste caso estamos falando do famoso “volume”.

Devemos ressaltar um fator importante, e que muitas vezes é usado como mecanismo de proteção; considerada como uma medida de controle do tipo administrativa, o afastamento dos funcionários em relação à fonte de geração é uma das formas pelo qual um determinado Grupo de Exposição Similar – GES pode ter sua exposição reduzida (dependendo das características das atividades e processos).

Mas como saber a relação: redução x distância?

A intensidade de alguns fenômenos físicos decai de acordo com a lei do inverso do quadrado da distância, ou seja, a intensidade é inversamente proporcional ao quadrado da distância da fonte pontual (neste caso devemos pensar em um nível de pressão sonora emitido por uma fonte especifica).

A fórmula para cálculos gerais de atenuação (diminuição da intensidade) seguindo a Lei do Inverso do Quadrado da Distância encontra-se abaixo:

dB SPL (distância X) = db SPL a 1 metro + 20 x log (1 metro / distância X)

É utilizado o valor de 1 metro como referência, pois os testes em caixas de som são apresentados com valores de sensibilidade média quantificadas a 1 metro de distância. Exemplo: 87 dB / 1 Watt / 1 metro.

Vamos analisar um hipotético exemplo:

Caso o resultado de uma medição pontual de ruído seja de 95 dB a 1 metro de distância da fonte de emissão (suponhamos: um martelete pneumático), qual será a intensidade medida se dobrarmos a distância em relação a esta mesma fonte (2 metros)?

Vamos pressupor que o cenário acima aconteça em um campo livre.

dB SPL (distância X) = db SPL a 1 metro + 20 x log (1 metro / distância X)

dB SPL = 95 + 20 x log ( 1 / 2 )

dB SPL = 95 + 20 x log 0,5

dB SPL = 95 + 20 x (-0,3)

dB SPL = 95 – 6

dB SPL = 89

Assim, o nível de pressão sonora medido a 2 metros de distância será de 89 dB.

Até certo ponto, onde o som projetado ainda não atingiu nenhuma superfície refletiva, o comportamento acústico acontecerá como o esperado: 6 dB de redução cada vez que a distância é dobrada em relação a sua respectiva fonte.

Através deste breve texto verificamos a aplicação prática da lei do inverso do quadrado da distância para uma típica exposição ao ruído ocupacional.

Para me seguir nas redes sociais e ficar ligado nas últimas novidades de Higiene Ocupacional fica a dica:

No YouTube – Professor Gustavo Rezende
No Instagram – @professor_gustavorezende
No LinkedIn – Gustavo Rezende de Souza


O blog Higiene Ocupacional em ação traz diversas situações e vivências práticas do dia a dia dos profissionais de segurança do trabalho, com dicas e reflexões de como a higiene ocupacional pode ser aplicada para promover um ambiente de trabalho seguro e produtivo. O autor é Gustavo Rezende de Souza, bacharel em Ciência e Tecnologia, técnico de Segurança do Trabalho com especialização em Higiene Ocupacional, professor nos cursos de SST e consultor Técnico.

Artigos relacionados

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui